5 dicas de leitura para o mês mais doce do ano

Olaaaaaa meus amores achocolatados, tudo bom com vocês?

Hoje vim trazer, em plena Páscoa, algumas dicas bem doces pra vocês que amam um romance, e antes de mais nada quero desejar a todos um bom feriado!

00a9d80f-b153-4feb-bd54-177a4be01696

Então, vamos conhecer esses livros incríveis que trouxe pra vocês hoje?

1 – Razão e Sensibilidade (Jane Austen)

Bom, sabemos como o nome da famosa autora de Orgulho e Preconceito tem sido referência nos últimos tempos, ainda mais se tratando de uma novela inspirada nas obras da nossa amada Jane. E é por isso que resolvi deixar Razão e Sensibilidade como minha primeira indicação de leitura para este mês.
Esse é pra quem ama um romance de época bem escrito!

razao e sensibilidade

Sinopse: Este foi o primeiro romance de Jane Austen. Publicado em 1811, logo recebeu reconhecimento do público. Razão e Sensibilidade é um livro em que as irmãs Elinor e Marianne representam uma dualidade, de maneira alternada, ao longo da narrativa. As expectativas vividas pelas duas com a perda, o amor e a esperança, nos aponta para um excelente panorama da vida das mulheres de sua época. As irmãs vivem em uma sociedade rígida, e ambas tentam sobreviver a esse mundo cheio de regras e injustiças. Tanto a sensível e sensata Elinor como a romântica e impetuosa Marianne se veem fadadas a aceitar um destino infeliz por não possuírem fortuna nem influências, obrigadas a viver em um mundo dominado por dinheiro e interesse. As duas personagens passam por um processo intenso de aprendizagem, mesclando a razão com os sentimentos em busca por um final feliz.

2 – Anna Kariênina (Liev Tolstói)

Este romance é mais uma indicação para aqueles leitores que ama uma literatura de época. Desta vez estou recomendando um russo bem famoso que deveria ser leitura obrigatória a todos os amantes de literatura e filosofia.

anna karienina

Sinopse: “Toda a diversidade, todo o encanto, toda a beleza da vida é feita de sombra e de luz”, escreve Liev Tolstói no romance que Fiódor Dostoiévski definiu como “impecável”. Publicado originalmente em forma de fascículos entre 1875 e 1877, antes de finalmente ganhar corpo de livro em 1877, Anna Kariênina continua a causar espanto. Como pode uma obra de arte se parecer tanto com a vida? Com absoluta maestria, Tolstói conduz o leitor por um salão repleto de música, perfumes, vestidos de renda, num ambiente de imagens vívidas e quase palpáveis que têm como pano de fundo a Rússia czarista. Nessa galeria de personagens excessivamente humanos, ninguém está inteiramente a salvo de julgamento: não há heróis, tampouco fracassados, e sim pessoas complexas, ambíguas, que não se restringem a fórmulas prontas. Religião, família, política e classe social são postas à prova no trágico percurso traçado por uma aristocrata casada que, ao se envolver em um caso extraconjugal, experimenta as virtudes e as agruras de um amor profundamente conflituoso, “feito de sombra e de luz”.

3 – O Lado feio do Amor (Collen Hoover)

Agora fugindo um pouco dos romances de época, deixo para vocês uma indicação que trata de um romance entre homossexuais onde o apaixonar-se é inevitável e a história promete ser tocante do jeito que o leitor gosta.

o lado feio do amor

Sinopse: O maior best-seller de Collen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo… apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor. O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

4 – O ar que ele respira (Brittainy C. Cherry)

Esta é uma indicação bem famosa que eu tenho visto muitos leitores comentando e falando super bem, apaixonando-se pela trama, personagens, enfim, derretendo-se até a alma. Até mesmo a minha irmã que leu disse que amou e viciou no restante da série. Então aqui está mais uma indicação, esta se trata de duas pessoas com problemas de superação em relacionamentos, problemas em comum e que passam a se conhecer apesar de tudo.

o ar que ele respira

Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

5 – Sobre o Amor (Charles Bukowski)

E por ultimo, o mais novo livro de Charles Bukowski publicado no ano passado que conta com inúmeras poesias onde o autor coloca todos os seus sentimentos de forma clara, sendo eles inúmeros que sempre se referem ao amor de alguma forma.

sobre o amor

Sinopse: Esta coletânea traz poemas de Charles Bukowski sobre o amor, este inescapável sentimento que, sim, fulminou muitas vezes o coração empedernido do Velho Safado. Homem de emoções intensas (certa vez chamado por um editor de “um louco passional”), o poeta se debruçou sobre o sentimento amoroso em seu sentido amplo: paixão, sexo, desejo, amor paterno… As complicações e os prazeres do amor e suas ramificações são abordadas de forma ora crua e rude, ora terna e sensível. Temos aqui um largo espectro: vemos todo o egoísmo, o narcisismo, a ironia, o mistério e a miséria desse sentimento eminentemente humano e, em última análise, seus momentos de alegria e, quem diria?, seu poder redentor. Compilados por Abel Debritto, biógrafo do autor, os versos livres revelam um Buk brilhante, divertido, brincalhão, metafísico, às vezes doce, ao refletir sobre sua filha, suas amantes, suas aventuras, seus amigos e seu trabalho. Aqui, o tema do amor é usado como um prisma através do qual ele enxerga o mundo como ele é, em toda sua beleza e crueldade, e assim o divide conosco. Eis Bukowski desnudo, no auge de sua ferocidade e vulnerabilidade, em poemas antológicos.

♥♥♥

Então amores, é isso, eu sinceramente espero que tenham gostado muito das indicações de hoje e nos conte o que achou, se algum te interessou ou se você ganhou algum livro nesta páscoa 😉

Hugs and Kisses

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s