Resenha: A Essência do Mal – Luca D’Andrea

20191221_192246

Oi, leitores! É um prazer tê-los aqui para mais uma resenha em nossa Locomotiva Literária! Espero que estejam preparados para conversarmos sobre “A Essência do Mal”, de Luca D’Andrea. Desde que foi lançado no ano passado, tive vontade de ler essa obra – achei que ela possuía um ar de terror e suspense interessante. Não foi bem como eu pensei, mas ainda assim curti a leitura. Bom, confira a resenha:

Jeremiah Salinger é um documentarista que fez um certo sucesso com seu sócio. No entanto, ele e a esposa se mudam pra um lugar mais remoto, na Itália, berço de sua esposa. Lá, ao fazer uma viagem em uma montanha, acaba sofrendo um acidente e, depois disso, ele fica obcecado pela Besta, que ele diz habitar aquela montanha. Uma força que nem ele entende… Um tempo depois, ainda em processo de recuperação, física e mental, ele se depara com uma história de um triplo assassinato não resolvido. O crime tem requintes de crueldade e é isso que dá uma nova perspectiva para a vida de Jeremiah: mergulhar de cabeça nessa história, que pode ser bem aterrorizante e pode acabar revelando segredos cruéis.

Bom, Jeremiah é quem narra a história, em primeira pessoa. Ele é daqueles personagens que facilmente nos identificamos com seu modo de narrar aquilo que está nos contando. Acho que tem tudo a ver com o fato de ele ganhar a vida com a produção de documentários – que, muitas vezes, nem narrador têm, mas geralmente são feitos por pessoas que sabem contar histórias. Então, ao ler esse livro, me imaginei sentado numa cadeira de balanço, num lugar tão remoto como a cidade em que ele e sua família moram agora, e Salinger ao lado, contando a história pra mim.

Dito isso, posso dizer que gostei muito da narrativa do autor, sua escrita é muito interessante e ágil, apesar de às vezes ter poucos diálogos. Até nessas partes, ele me pareceu não querer “enrolar”, tentando ser o mais objetivo, ainda que a história não permita que ele seja totalmente. Isso é bom, pois não atropela os fatos e vamos nos inteirando aos poucos. A história em si tem muitas outras histórias dentro dela, mas também curiosidades sobre montanhas e, claro, a natureza humana.

É um livro sobre fatalidades, mitos e histórias que as pessoas contam… aliás, essa é uma característica interessante. Apesar de ser um livro de suspense, tem essa coisa de cidades pequenas e suas lendas e histórias de séculos passados, o fato de todos se conhecerem, todos saberem a maioria das coisas das vidas uns dos outros. Mas há os segredos, claro. Tudo isso em um ambiente diferente de livros que já li, o lado europeu montanhoso, que também tem suas próprias histórias e mitos. Foi muito interessante conhecer esse lado da Europa, que eu pouco li sobre, mas sempre me encantou.

Outra perspectiva que o autor nos leva é sobre a obsessão do ser humano, muito bem colocado no papel de Salinger. E, claro, como isso pode interferir na vida das pessoas ao seu redor, mas ainda assim você persiste nessa obsessão. Salinger não é um policial, mas ele acredita que descobrir a verdade sobre Bletterbach pode ajudar a vencer seus traumas passados, pode ajudar ele a vencer a Besta. E a forma como o autor descreve essa obsessão dele é tão marcante e forte que conseguimos sentir toda essa história do triplo assassinato corroendo o documentarista. E o deixando cada vez mais obcecado – o que nos deixa tão obcecados quanto, é claro.

Como eu disse, a obra retrata muito sobre a natureza humana e como ela pode ser cruel e realmente assustadora. Isso é mais presente no fim do livro, quando começamos a desvendar os segredos da cidade e da montanha. Nesse mesmo ponto, há um pouco de irrealismo presente, não sei se como forma de alucinação de Salinger, ou como se fosse algo que realmente aconteceu (pelo menos na criação do autor). De qualquer maneira, isso deu um fôlego para a história.

O fim é simplesmente surpreendente. Confesso que fiquei um pouco decepcionado quando ainda faltavam 60 páginas para o livro terminar e o autor meio que já revelava a verdade sobre as coisas. Ao passo que essa revelação foi surpreendente, eu não podia acreditar que era isso apenas. Bom, felizmente, não era apenas isso. Óbvio que não vou dar pista do que é. Mas se você está lendo ou vai ler esse livro, acredite, você vai se surpreender.

E acho que isso é tudo o que posso falar sobre esse livro. Confesso que criei uma expectativa de que seria algo muito mais ligado ao suspense e ao terror, mas me enganei. Ainda há isso, mais pro fim do livro, mas não na magnitude que imaginei. É algo muito mais psicológico, com um mistério a ser desvendado, do que suspense mesmo. Claro que curti muito a leitura, porque também adoro esse lado psicológico dessas histórias. Enfim, recomendo muito essa leitura!

Espero que tenham gostado dessa resenha! Vocês já leram essa obra? O que acharam? Já você que não leu ainda, mas tá pensando em dar aquela chance, vamos conversar, prometo ser bem sincero quanto ao que esperar dessa obra, tanto quanto já fui nessa resenha haha até mais!

Ficha técnica:

A Essência do Mal

Autores: Luca D’Andrea

Editora: Intrínseca

Ano: 2018

368 páginas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s