Resenha: Onde dorme o amor – Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente

20190318_105351

olá pessoal. como estão? espero que bem… hoje é dia de resenha, e mais uma bem especial. depois do enorme sucesso do primeiro livro, o grupo TCD (textos cruéis demais) voltou com tudo para mais um livro. estamos falando de “textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: onde dorme o amor”. novamente decidi escrever a resenha dessa forma, assim como seus textos são escritos, por que achei adequado. digo novamente pois o primeiro livro deles também ganhou resenha por aqui (só clicar), e eu não poderia deixar de escrever sobre essa nova obra que tenho o prazer de ter na minha estante. vamos lá?

se o primeiro livro foi tão intenso, falando, principalmente, da superação e da reconstrução de si depois do encerramento de um ciclo, um relacionamento, dá para imaginar que “onde dorme o amor” é tão intenso quanto, certo? o segundo livro é dividido em três partes, e fala, também, de superação, mas são textos mais profundos que nos apresentam a aceitação, o perdão, o amor próprio, a melhor parte do amor, partidas e desilusões amorosas – até por que isso está presente em nossas vidas, mesmo que não queiramos. o melhor é que são textos inéditos – escritos de uma forma tão sensível, poética e apaixonante.

juro para vocês que quando conheci esse grupo passei a ser mais apaixonado ainda pelas palavras e seu poder. dá pra imaginar que depois de dois livros, essa paixão é ainda amor, por que não são apenas os sentimentos presentes nesses textos, é a forma como eles são descritos, nos fazendo nos identificar com muita coisa que é escrito. eu mesmo me identifiquei com diversos e, cito aqui, os textos “autoajuda”, “adrenalina”, “imensidão”, “além do amor romântico” e “axé”. acredite em mim, todo o livro vale a pena ser lido, mas esses capítulos mexeram comigo.

o mais incrível desses textos é que as pessoas podem pensar que estamos falando apenas do “amor romântico”, como há um texto sobre isso. mas não, esse livro explora todos os amores, todos os relacionamentos humanos – entre pais e filhos, entre duas pessoas que se amam ou se amaram, entre dois amigos. enfim… acho que esse livro, apesar de tratar de todos aqueles assuntos que citei, é principalmente quanto à aceitação, de como somos, de como queríamos ser, mas não percebemos que o que temos deve ser valorizado – seja o nosso corpo, nossos bens materiais, o que for. pelo menos para mim foi essa “lição” que passou, mas eu tenho certeza que cada pessoa que ler se identificará de uma forma diferente, por que esse é o diferencial desse grupo, eles sabem escrever aquilo que caberá no coração de cada pessoa individualmente…

as ilustrações são um complemento incrível aos textos. de autoria de Júlio Almeida, as ilustrações são tão íntimas quanto os textos. o primeiro livro também contava com ilustrações (de outros artistas) e eram sensacionais. nesse livro elas não deixaram a desejar e nos trazem toda a complexidade dos textos expressada pela arte – não que os textos não sejam uma obra de arte, por que são!

enfim, já me estendi demais, mas é isso. digo com todo prazer que amei esse livro e, mesmo lendo ele rapidamente, mesmo sendo cruel, foi apaixonante, cada texto. e com certeza vou ler e reler várias vezes, com mais calma, como eles merecem ser lidos, até por que são textos que conversam com a gente e, nesse caso, eles merecem ser lidos com calma. tenho certeza que esses textos serão conforto para os corações mais agitados e machucados, pois, se um livro fala de amor e cura, é impossível não sentirmos isso dentro de nós. eu senti.

espero que eles continuem nos presenteando com esses textos por muito tempo pois, como disse na outra resenha e faço uma citação à minha fala naquela ocasião: ainda bem que eles resolveram transformar aqueles sentimentos profundos e íntimos em (mais) um livro, porque deus me livre nunca ter tido a chance de ter essas palavras na minha estante de livros…

deixo aqui meu agradecimento aos autores desse livro: Igor Pires (instagram: @heyaigu), Gabriela Barreira (ig: gabsbarreira), Letícia Nazareth (ig: leticianazareth_), Malu Moreira (ig: maluhmo) e Júlio Almeida (ilustrações). obrigado por esses textos, de coração!

e a você que leu essa resenha, também fica meu agradecimento! espero que tenham gostado, espero que leiam esse livro, menos rapidamente do que eu, e que sintam coisas indescritíveis que só farão sentido para você. até a próxima!

Ficha técnica:

Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: Onde dorme o amor

Autoria: Textos Cruéis Demais (TCD)

Editora: Globo Alt

Ano: 2019

256 páginas

Uma opinião sobre “Resenha: Onde dorme o amor – Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s